3 de nov de 2014

Quando a senzala cresce


A ideia aqui não é mais uma discussão sobre o assunto, quem gosta e quem não gosta, aceita ou não aceita, já teve ou nunca terá irmã de coleira.
A intenção é refletir sobre o papel de uma das envolvidas em um relacionamento a três: a primeira escrava.
Por primeira entenda-se a mais antiga, a que chegou primeiro ao canil ou senzala, a que já estava servindo ao Dominador quando da chegada de uma possível irmã de coleira.
É, na minha opinião, o papel mais difícil, o mais desconfortável e o mais delicado nesse momento pelas várias responsabilidades que recaem sobre essa escrava.
Por menos atribuições que o Dono lhe dê em relação a nova aquisição, ela tem o dever de contribuir para que a nova relação dê certo. Sendo assim, precisa ser vigilante com seus atos, com suas palavras, para que não seja mal interpretada em suas intenções... por uma coisa mínima pode-se melindrar a outra ou até mesmo passar a impressão de estar trabalhando contra, o que é muito comum pensarem da mais antiga. Somos responsáveis pelo que fazemos e dizemos, nunca pelo que os outros entendem mas, nesse caso, é um pisar em ovos o tempo inteiro, ter que ser extremamente cuidadosa e esse policiamento constante pode trazer uma carga grande de ansiedade.
Há também a insegurança, que precisa ser refreada. A insegurança se instala quando a novata começa a receber todas as atenções. É justo que ela precise de adestramento, do olhar atento do Dono sobre ela para que venha a serví-lo da forma que ele deseja, ou seja, precisa de atenção redobrada. Além disso, não se pode negar que é "carne nova" e estará também no centro dos desejos do Dono.
E por mais que tenha sido combinado, por mais que se tente racionalizar esse momento às vezes torna-se impossível à antiga não se perguntar: não estou sendo suficiente para o meu senhor?



E assim, a recém chegada solta e fresca, sem muito a perder, só a aprender, acaba tornando-se muito mais leve, enquanto a antiga, se não dominar todos esses sentimentos, ações e reações, pode acabar tornando-se uma pessoa pesada, às vezes não para o Dono mas para si mesma, diante de tantas situações com as quais precisa lidar e que vai represando em nome da harmonia da Casa e da paz do Dono. E esses sentimentos represados podem chegar a tal nível que não se consiga suportar, trazendo grandes angústias.
E como não passar por isso? 
Não existe uma fórmula, cada situação é uma, cada um tem uma forma de administrar seu canil mas a essa submissa mais antiga cabe não esquecer seu papel, manter-se firme em seus propósitos de servir, independente de quantas ele tenha, mantendo o foco no Dono e não na irmã e no que está sendo feito com e para ela. Fácil? Não, é muito difícil... mas vale a paz de espírito, a manutenção da autoestima e o reconhecimento de sua própria importância para o Dono pois sem ela, a relação a três não se concretizará. 
Ao Dono, cabe não esquecer que a mais antiga também precisa de atenção nesse momento, por todas as responsabilidades que tem e mudanças pelas quais estará passando. É dele grande parte do trabalho de fazer com que todas sintam-se bem para que veja realizado seu objetivo de ter uma senzala harmoniosa e feliz.
Quem cuida bem, tem.


 {Vita}_ST

Feliz propriedade do Senhor da Torre

13 comentários:

Amar do Sr. DIABLO disse...

miVitAmada!

Como sempre, texto ótimo e muito pontual. Veio a calhar como complementação aquele meu antigo sobre irmãs de coleira e as responsabilidades da submissa que já é antiga na senzala e recebe a que chega, muitas vezes uma iniciante inexperiente.

Agora, me comprometo a escrever como deve ser o espírito da que chega. Como ela deve se comportar para que a harmonia da senzala não se perca. Só te peço que tenha um pouquinho de paciência comigo pois ando envolvida e num corre corre de consultas e exames para a minha cirurgia, vc sabe.

Estou feliz. O blog está cada dia melhor. Os textos ótimos dos nossos amigos antigos e de jovens adeptos ao BDSM têm feito com que nossos propósitos se confirmem e a página se tornado uma referência no tema. O que é ainda melhor, a cada dia, mais educativo.

O número expressivo de visitas, os comentários que "escuto" são muito positivos e o sucesso se deve à sua dedicação e competência, miVitAmada. Nada disso seria possível sem o seu comprometimento.
Beijos de admiração, amor e respeito!
*:-)

Amar Yasmine do SENHOR DIABLO

_belle_de_jour disse...


Um texto fantástico, claro, objetivo e reflexivo...

PARABÉNS meninas,

Lendo e aprendendo um pouquinho mais aqui. pisc*

Beijos e uma semana iluminada à todas.

{Λїtą}_ŞT disse...

Amada, seu texto sobre irmãs de coleira é incomparável diante da clareza com que trata o assunto, colocando os dois lados, o da mais antiga e o da novata, para que haja harmonia na Casa do Dominador.
Neste, quis apenas colocar o peso dessa responsabilidade, meio desigual mas verdadeiro, e que precisa ser observado para que as coisas não venham a tornar-se tão mais pesadas para um dos lados.
Isso pode valer a harmonia do canil ou até mesmo a manutenção dessa relação a três pq quem não sabe cuidar, não tem, vai ficar eternamente com uma entrando e a outra saindo... rs.
Estou tb muito feliz com os números do blog, com as visitas e, principalmente, com a ajuda que tem dado às pessoas, principal objetivo seu desde o início deste blog e que passou a ser o nosso objetivo.
Beijos e muito obrigada pela sua sempre valiosa participação.

{Λїtą}_ŞT disse...

Obrigada, belle_de_jour. É um texto simples mas que pontua essas dificuldades, na maioria das vezes ignoradas, pelas quais passa a mais antiga. Obrigada pela visita ao blog e volte sempre :)

Beijos

belle_de_jour disse...

@Vita_ST...Sim, é uma dificuldade, afinal dividir e compartilhar amor não é e nem nunca será fácil...Mas, em contra-partida, um desafio interessante para nós mulheres evoluírmos um cadinho mais...

Voltarei certamente.

Bjs gostosa.

{Λїtą}_ŞT disse...

Volte sim,belle... é sempre uma grande alegria para nós a sua visita : )

Beijos

eulalya_DCV disse...

Texto muito bem explicado. Realmente, a responsabilidade da antiga é muito maior do que a da nova porque a recém chegada ainda está na fase de aprendizado.

{Λїtą}_ŞT disse...

Verdade, eulalya-DCV. A novata chega sem muitas responsabilidades, sem a entrega consolidada, tem muito menos a "perder", só a ganhar pq estará ainda em fase de aprendizado e ainda conta com mais atenção. Tudo isso pode fazer a mais antiga sentir insegurança e essa necessidade de agradar a qualquer custo, para não ser mal vista ou mal interpretada. Quis chamar a atenção para esse ponto, que nunca é falado mas que realmente acontece com qualquer uma.
Beijos e obrigada pela participação.

RobertoDom disse...

ótimo texto explicativo para reflexão de ambas as partes envolvidas.De parabéns VIta pelo
posto bem informativo.

luah negra disse...

Quando a senzala cresce é sempre um desafio , que pode ser bem sucedido ou não .
Assim como em todo relacionamento , seja ele a dois , a três , quatro ou em que número for , a chegada de um novo membro na senzala exige que cada um faça a sua parte com real empenho de para que o grupo funcione bem como um todo .
O esforço conjunto , com a boa receptividade da mais antiga , boa condução do Dono e comprometimento da recém chegada , culminaria num prazer igualmente conjunto . De outra forma , perde-se facilmente a ideia de grupo , família , de união para dar lugar ao indivíduo ou par , deixando o peso da responsabilidade para um dos membros .

Muito bom tema , vita , e pouco debatido tbm. Bom que tenha compartilhado conosco essa reflexão clara , objetiva e sincera .
Beijos meus .

{Λїtą}_ŞT disse...

Obrigada, sr RobertoDom, caro amigo, sempre presente. É sempre uma alegria contar com sua presença aqui.
Beijos agradecidos

{Λїtą}_ŞT disse...

Muito obrigada, fiel escudeira luah_negra, grande colaboradora deste blog.
Sim, eu acho que esse peso deve ser melhor distribuído embora a própria situação da mais antiga já a coloque em desvantagem. Sendo assim, só o Dono pode equilibrar essa balança, estando muito atento a essa disparidade e fazendo o possível para minimizar esse peso.
Mais uma vez muito obrigada por sua participação.

Beijos

Ricardo-DF quero casais disse...

QUERO MULHERES DE CORNOS (BRASILIA-DF)

>>> Eu sou Ricardo do Recanto das Emas, Brasília-DF sou comedor de esposinhas e quero meter minha pica em casadas, grávidas, gringas, noivas, solteiras, viúvas sedentas, mulheres coroas. Adoro comer as esposinhas dos meus amigos na frente deles.

>>> fudedor.de.esposas.df@hotmail.com

(whatsapp) (61) 8456-6055 Operadora OI.

>>> (61) 9285-0356 Operadora CLARO.

>>> BRAZIL Brasília-DF (Recanto das Emas)