22 de jan de 2016

Sem coleira?


Saudações a T/todos!

Gostaria que fosse outra pessoa a iniciar os trabalhos do escravas & submissas em 2016, mas, não houve ninguém que tivesse tempo disponível para escrever para o blog, então, vocês, queridos leitores, vão ter que me engolir outra vez... rs.
Em primeiro lugar um feliz ano a T/todos. Muitas alegrias em todos os campos da vida mas aqui, em especial, desejo a todos muitas alegrias e prazeres dentro do BDSM.
Que mais pessoas possam se encontrar, formar lindas parcerias e viver os mais deliciosos prazeres. E que possam se respeitar enquanto fazem isso respeitando assim, as regras mais profundas do BDSM: o SSC, a ética e a responsabilidade.



E o assunto que vou abordar é algo que vejo que é cada dia mais frequente dentro do BDSM: a falta da coleira.
É cada dia mais comum ver escravas ou submissas dizendo "tenho Dono" e contando suas conquistas, sua evolução, felizes da vida por estarem servindo a alguém, mas... não se sabe a quem.
E por que digo isso? Interessa a mim saber a quem a pessoa está servindo? Sou tão curiosa assim a ponto de interessar-me tanto pela vida alheia?
Não, tenho a minha. E já me ocupa o suficiente para que me preocupe com as coleiras alheias.
No entanto, esse assunto deveria preocupar sim, a essas pessoas que servem sem coleira. 
E por que? - perguntariam alguns - Acaso é preciso confirmação para servir? E quem manda, afinal, não é o Dono? Se ele escolhe não dar coleira é problema dele e da submissa que aceita... esta, prova ainda mais sua submissão pois não precisa de uma coleira para estar cativa.
Essas frases quase clichê vão sendo aprendidas e repetidas.



Sabe-se que toda submissa deseja pertencer. E a coleira é a realização desse desejo materializada. É muito comum ouvir de submissas o quanto se orgulham em portar a coleira de seus Donos, seja no pescoço, seja ao assinar o nick numa publicação, seja em um chat, aquela coleira grita: EU PERTENÇO!
E, ainda assim, a cada dia se vê menos coleiras. 
Mas... e o motivo?
Se uma coleira é expressa sempre por um nick, nunca (ou quase nunca) pelo nome real do Dominador, o motivo não pode ser o risco da exposição.
Então você, submissa, na próxima vez que algum Dominador te abordar oferecendo um mundo cheio de prazeres mas sem coleira "porque vocês não precisam disso para confirmar o vínculo um com o outro", pergunte-se se é isso mesmo que você quer, se não gostaria de ter a coleira desse Dono adornando seu pescoço e te confirmando como posse dele.
Pergunte-se se ele tem orgulho suficiente em ter você a ponto de deixá-la ostentar na frente do seu nome, em seu pescoço e em sua alma, suas iniciais.



Pergunte-se, ainda, se essa ausência de coleira não é apenas um modo de esconder-se no meio BDSM, porque, um nick não justifica o risco de ser descoberto no mundo baunilha.
Pergunte-se se um verdadeiro Dominador precisa esconder-se e por quê.
Por fim, pergunte-se por que motivo você aceitaria esconder algo que, afinal, nem é a identidade real do Dominador, é apenas seu nick. Lembre-se que antes de entrar na relação você ainda pode negociar o que quiser.
E se nada disso realmente te importa, então, viva sem coleira e seja feliz.
Mas, lembre-se disso: Valorize-se!


Beijos de {Λita}_ST