2 de dez de 2014

Para a menina que acaba de descobrir a submissão


À você, menina submissa, que acaba de descobrir o mundo da submissão,  preciso dizer:

- Nem tudo são flores. Há sim muitas, lindas, de cores belas, pétalas macias, com perfume as vezes suave, muitas vezes embriagador. Mas, não se esqueça dos espinhos e prepare suas mãos com cuidado, porque para tocar nas flores provavelmente irá esbarrar nos espinhos.

- Não tenha medo, entregue-se plenamente. Dedique-se, aprimore-se. Seja solícita, esteja sempre à disposição, mas não sufoque. Nada mais desagradável do que uma mulher que, na ânsia de não faltar, acabe sendo demais.

- Não se acanhe ao suplicar. Curve-se até o chão. Rasteje. Não apenas de corpo, porque isto é fácil, rasteje sinceramente também de alma e coração.

- Se um dia alguém criticá-la, se a chamarem de fraca ou tola por ser submissa, não se incomode. Não perca tempo discutindo. Mantenha a fé em sua submissão e o foco no despojamento. Tenha em mente que o amor submisso exige despojamento, raciocínio, convicção, coragem, dedicação, determinação e força. Tudo isto amando de peito aberto e sem perder a humildade.
Nenhuma de nós pode se dar ao luxo de ser tola ou fraca.

- Sinta ciúmes. Sim, sinta ciúmes! Sinta e não se envergonhe de sentir. Contudo, jamais reclame, jamais os expresse, a não ser que seja de uma forma leve, rápida, um piscar de olhos, apenas o tempo necessário para acariciar o coração e a alma de seu Dono.

- Deixe claro quão precioso e insubstituível ele é, que a vida não terá sentido sem ele e que tudo que lhe der prazer você fará sorrindo de corpo e alma, mesmo que seja colocar a seus pés uma jovem e bela mulher, se isto for de seu agrado.

- A você, menina submissa que me lê neste instante, desejo que trabalhe firme para servir com excelência. Fique atenta pois há uma linha frágil que separa o momento de se adiantar e surpreender. Uma linha frágil para o momento de estar quieta, cabeça e olhos baixos apenas aguardando o comando e o momento de ser atrevida. Os dois lados desta linha são absolutamente necessários e é preciso muita atenção para não errar.

- Doce menina, policie-se. Nenhuma mulher poderá ser totalmente controlada se não tiver controle sobre si mesma. Sim, pq uma submissa não pode simplesmente jogar no colo do Dono o fardo de si mesma. O auto controle é absolutamente necessário pra lidar com imprevistos e para saber esperar.

- Espere... Espere... Espere... Espere!
Aprimore-se em esperar, com delicadeza, com doçura, com serenidade, com temperança. Lembre-se das "Mulheres de Atenas". Não somente delas, mas de todas que, por um motivo ou outro, têm que esperar sem saber até quando.

- Se submeta na totalidade. Se permita ser feliz na subserviência e confie. Confie primeiro em si mesma. A fé em sua submissão deverá ser inabalável e sem confiança não haverá obediência cega, nem entrega verdadeira.

- Por fim, nunca se esqueça: Não há meia submissão, nem meia servidão. Assim como não há boas ou más escravas e boas ou más submissas. Ou somos, ou não somos.

Este é o meu recado para você que está descobrindo a submissão com a alma cheia de sonhos. Não se esqueça nunca, querida menina, que:


Expectativas de recompensas
não movem a verdadeira submissa.
Mas, a devoção e a entrega
de livre vontade.

Amar Yasmine
a escrava encantada do
SENHOR DIABLO


8 comentários:

Master Christian Sword of GOR disse...

Lindo texto. Deveria ser lido por toda submissa, não só as inciantes.

{Λїtą}_ŞT disse...

É um ótimo e oportuno texto em tempos de "quero um Dono que cuide de mim"... a submissão não é isso, a submissão é o desejo voluntário de servir.
Falo sempre que cabe ao Dono alimentar essa submissão. Não é pq nada exigimos, nada cobramos, nada pedimos, que nada mereçamos. Mas isto deve partir DELE, da sua própria consciência e consideração para com quem o serve; jamais cobrado.
Ótimos conselhos.

Beijos

RobertoDom disse...

ótimo texto uma leitura essencial para todos

sub Sabrina disse...

Adorável esse texto,tbm com dicas muito valiosas,amo esse blog,tem me ajudado muito.

Perséfone Core disse...

Amar Yasmine escreve com delicadeza, com essência submissa...repassa o que há de melhor em si.

Esquece dessa anarquia/mediocridade toda do BDSM brasileiro, e foca naquilo que faz a submissa ir adiante. Ela busca dentro de si a beleza e transborda tudo através da escrita.

Por isso é preciosidade - aquilo que te incentiva a viver e, não te podar. Palavras vivas que deixem impressões, que direcionam, um farol... permitindo que muitas sigam em suas condições.

ternura disse...

Lendo o texto e me imaginando numa D/s, na qual o Dom ama, idolatra e considera a doce e suave magia de receber a submissão...(suspiros)

sim, sou uma sub campainha, mas por livre e consistente escolha, atenta e controlada sobre minha vida...*pisc

obrigada por compartilhar.

bjs no cuore

só fusca disse...

Como é gostoso ser submisso

só fusca disse...

Ola linda vc gosta de amizade com homem bi e submisso