16 de jul de 2016

AINDA LEMBRO

Lembro-me de um tempo em que o BDSM primava por uma Elegância, a Elegância do Comportamento. Era o tempo de glamour onde a imagem era muito importante e não bastava vestir a fantasia, era primordial vivê-la. Havia um encanto.
Lembro-me de um tempo em que a Liturgia tinha um forte significado. Não falo de uma Liturgia restrita a esta ou aquela senzala, mas da Liturgia que imperava no âmbito BDSM. A simbologia de um Dress code, o código de sinalização Esquerda/Direita indicando a posição Top/sub. Os Contratos e Registros. Até mesmo a Coleira que simboliza o compromisso e a posse, seja real, ou virtual, está cada vez mais rara.
O BDSM também tem os seus Protocolos e Formalidades
Tudo era mais sentido e palpável, havia um comprometimento maior! Participava-se de discussões, opinava-se mais, ensinava-se e aprendia-se.
A postura dos submissos era entendida como um reflexo da mão Dominante. A postura do submisso enaltecia a imagem do Top. Havia uma atenção em relação ao comportamento, não apenas nas plays, mas também no meio virtual.
Havia um quê de confraria. Já vi Top defender uma escrava encoleirada, ainda que não de sua propriedade, do assédio de outro Top, ou que assim se intitulava, apenas por uma questão Ética.
Em nome de uma pseudo modernidade, essa necessidade de simplificar tudo, até mesmo o essencial, o básico foi diluído, os alicerces condenados. Uma abertura excessiva também contribui para isto. A casa prestes a ruir.
Perdemos a essência!


Não é uma simples questão de saudosismo, preconceito, ou aversão ao novo; o fato é que muito da essência do BDSM vem, há algum tempo se perdendo.
Os recém chegados, em grande parte, não vivenciaram este momento, não conheceram esta realidade. Como poderiam exercê-la? E quem poderia, ou mesmo deveria manter e passar-lhes estes preceitos?
Essa descaracterização não acontece apenas aqui, no nosso “mundinho de quatro letras”. Há sim, uma tendência de toda a sociedade em simplificar coisas importantes como alguns valores, o que os torna quase descartáveis. Não é o que se faz, mas como se faz.
Falta conceito. Decorrente de tal situação, muita gente afastou-se das listas e agora das redes sociais. O que é visto apenas como renovação, esconde um esvaziamento da Cultura BDSM que se vê na mídia Web.

Werther von AY erschaffen


* Texto postado originalmente no blog WERTHER e {W_[amar yasmine]} em 05/07/2016 e gentilmente cedido pelo autor para ser publicado neste blog.