23 de dez de 2014

Boas Festas!


Fim de ano. 
Época de renovação e esperança de dias melhores, de fazer planos, resolver pendências, distribuir perdões, procurar pessoas ausentes e desejar coisas boas para começar o novo ano com o coração cheio de paz.
Nós, do blog *escravas & submissas*, desejamos a você que nos acompanhou, que nos encheu de orgulho com suas visitas, comentários e até mesmo com suas leituras silenciosas, um Natal de muita paz e amor e um Ano Novo repleto de realizações e, como não poderia deixar de ser, muitas alegrias e prazeres no BDSM.
A quem tem uma relação, que ela frutifique. 
A quem não encontrou ainda seu par, que o(a) encontre em 2015. 
A quem está apenas observando e aprendendo, que consiga crescer nesse aprendizado. Esperamos estar contribuindo para isso.



Aos nossos colaboradores, o nosso muito obrigado, vocês ajudam a fazer este blog acontecer. 
Estamos, com muita alegria, comemorando os 140.000 acessos à nossa página. Talvez pareça pouco mas é uma grande alegria para nós saber que milhares de pessoas estão nos acompanhando, lendo, contribuindo para que esse nosso querido BDSM continue a ser motivo de alegrias intensas para todos nós.
Voltaremos em janeiro com energia renovada e muitas novidades para nossos queridos leitores.


Feliz Natal a T/todos! Feliz 2015! 

São os nossos votos a todos que acessam esta página.


*escravas & submissas*


7 de dez de 2014

A importância do aftercare


Muito já se debateu sobre Dominação x submissão, o papel do Dominador e o da submissa, as condutas de comportamento, assim como, as relações sadomaso como um todo.

No entanto, acho o assunto sessão muito sério e sugestivo para gastar uns bons tec…tecs. (Tomarei a liberdade de devanear levando em consideração as vivências entre Dom e sub, no entanto, o assunto discutido, supera questões de gêneros).

Acredito que sessão seja um dos momentos importantes da R/relação por ser ali onde as coisas se concretizam de fato. É ali que todo o ensinamento vai ser posto em prática, e a hora do "vamo ver", tanto para quem está se submetendo quanto para aquele que está Dominando.



Trazendo o assunto para minhas vivências, na sessão é quando me mostro, literalmente, submissa para aquele que tem o PODER o COMANDO sobre mim. Do lado do Dominante, acredito, que seja o ápice de sua existência.

Numa D/s, esse exercício de cooperação, essa troca, essa interação entre Dominador  e escrava submissa, resulta ativamente para o desenvolvimento de A/ambos.

Saliento que o Dono assume papel fundamental nesse processo como indivíduo que Decide, que Comanda a situação por livre e prazerosa escolha.

Supostamente, ELE (Dominador) deve saber realizar com destreza, para o seu deleite, inúmeras práticas. Assume ciente seu papel na relação. Guia com prudência. Orienta com responsabilidade. Conduz de maneira rigorosa e gentil. Faz superar limites e suportar a dor com lucidez e sensatez. Além de ordenar tarefas para a evolução da peça.



Porém, no decorrer da caminhada, erros acontecem. Daí, oportunamente, surgem as famosas sessões de  castigos/punições. E o nobre Senhor se vê obrigado a aplicar  o julgamento e as sentenças. Fazendo uso de toda a gama de bom senso que lhe cabe, Ele escolhe a melhor e mais indicada prática para trazer luz, discernimento e orientação à impulsiva escrava  

Muitas vezes,  nesses momentos, podem ocorrer as quebras de limites, os físicos mais comuns ou os de ordem psicológica, visto que,  a peça toda arrependida da transgressão cometida, sente-se na obrigação e impulsionada a ver de volta o brilho nos olhos do Dono, emtrega-se inteira  para transpor esses limites.  



Munido com toda responsabilidade e sutileza inerentes de seu ser, Ele sente quando o castigo foi cumprido e reconhece o limite atingido de sua submissa. 

E/exauridos pela intensidade de tal momento, N/necessitam de um certo restabelecimento. Momentos íntimos e intensos merecem ter uma pausa branda, harmoniosa e relaxante. Geralmente essa necessidade  é suprida com um aconchego nos braços um do O/outro , podendo ocorrer conversas banais, chamegos ou apenas o terapêutico abraço.  Essa pausa tão importante costuma ser denominada como aftercare.



E assim, diante de tais ações tão vitais para a sobrevivência de qualquer D/s, faz de Sua peça, uma incrível dedicada, extremamente honrada e orgulhosa escrava submissa.



ternura εïз


*Nota: leia mais sobre Aftercare em nossa página  Práticas e Fetiches


2 de dez de 2014

Para a menina que acaba de descobrir a submissão


À você, menina submissa, que acaba de descobrir o mundo da submissão,  preciso dizer:

- Nem tudo são flores. Há sim muitas, lindas, de cores belas, pétalas macias, com perfume as vezes suave, muitas vezes embriagador. Mas, não se esqueça dos espinhos e prepare suas mãos com cuidado, porque para tocar nas flores provavelmente irá esbarrar nos espinhos.

- Não tenha medo, entregue-se plenamente. Dedique-se, aprimore-se. Seja solícita, esteja sempre à disposição, mas não sufoque. Nada mais desagradável do que uma mulher que, na ânsia de não faltar, acabe sendo demais.

- Não se acanhe ao suplicar. Curve-se até o chão. Rasteje. Não apenas de corpo, porque isto é fácil, rasteje sinceramente também de alma e coração.

- Se um dia alguém criticá-la, se a chamarem de fraca ou tola por ser submissa, não se incomode. Não perca tempo discutindo. Mantenha a fé em sua submissão e o foco no despojamento. Tenha em mente que o amor submisso exige despojamento, raciocínio, convicção, coragem, dedicação, determinação e força. Tudo isto amando de peito aberto e sem perder a humildade.
Nenhuma de nós pode se dar ao luxo de ser tola ou fraca.

- Sinta ciúmes. Sim, sinta ciúmes! Sinta e não se envergonhe de sentir. Contudo, jamais reclame, jamais os expresse, a não ser que seja de uma forma leve, rápida, um piscar de olhos, apenas o tempo necessário para acariciar o coração e a alma de seu Dono.

- Deixe claro quão precioso e insubstituível ele é, que a vida não terá sentido sem ele e que tudo que lhe der prazer você fará sorrindo de corpo e alma, mesmo que seja colocar a seus pés uma jovem e bela mulher, se isto for de seu agrado.

- A você, menina submissa que me lê neste instante, desejo que trabalhe firme para servir com excelência. Fique atenta pois há uma linha frágil que separa o momento de se adiantar e surpreender. Uma linha frágil para o momento de estar quieta, cabeça e olhos baixos apenas aguardando o comando e o momento de ser atrevida. Os dois lados desta linha são absolutamente necessários e é preciso muita atenção para não errar.

- Doce menina, policie-se. Nenhuma mulher poderá ser totalmente controlada se não tiver controle sobre si mesma. Sim, pq uma submissa não pode simplesmente jogar no colo do Dono o fardo de si mesma. O auto controle é absolutamente necessário pra lidar com imprevistos e para saber esperar.

- Espere... Espere... Espere... Espere!
Aprimore-se em esperar, com delicadeza, com doçura, com serenidade, com temperança. Lembre-se das "Mulheres de Atenas". Não somente delas, mas de todas que, por um motivo ou outro, têm que esperar sem saber até quando.

- Se submeta na totalidade. Se permita ser feliz na subserviência e confie. Confie primeiro em si mesma. A fé em sua submissão deverá ser inabalável e sem confiança não haverá obediência cega, nem entrega verdadeira.

- Por fim, nunca se esqueça: Não há meia submissão, nem meia servidão. Assim como não há boas ou más escravas e boas ou más submissas. Ou somos, ou não somos.

Este é o meu recado para você que está descobrindo a submissão com a alma cheia de sonhos. Não se esqueça nunca, querida menina, que:


Expectativas de recompensas
não movem a verdadeira submissa.
Mas, a devoção e a entrega
de livre vontade.

Amar Yasmine
a escrava encantada do
SENHOR DIABLO