5 de out de 2014

UM DOMINADOR DECLARA


Os dons de um Dom


Eu já escrevi aqui, em um texto anterior, que encontrar uma sub é uma aventura complexa, em que se encerram uma série de situações nas quais, quem conduz, deve ter paciência, calma, frieza e muita orelha ... rs.
Hoje, queria falar um pouco da fase anterior a essa: a aproximação e a conquista.
Já ouvi muitas reclamações de que sou inflexível, radical e que acabo "espantando as subs"; muitas delas, segundo elas mesmas dizem, com enorme potencial ... e acredito. Hoje, muitas estão felizes com seus donos e algumas ainda são minhas amigas.
O que acontece é que eu creio que, na fase de conversa prévia, eu não devo mentir pra ninguém: não preciso disto para conseguir sexo; nem mesmo afeto ou atenção.
Sou um dominador sádico há anos e já realizei quase todos os meus desejos nisso aqui ... mas sempre estamos abertos a novas e potenciais clientes. E eu adoro conversar!
O que acontece, quase sempre, é que as subs se aproximam se esquecendo de ler a lista de fetiches ... ou acreditam que, por serem bonitas e encantadoras, vão "dobrar" o dom. Bem, esse aqui é um negócio simples. E eu sempre deixo claro que não busco ninguém ... espero alguém. E não conquisto ninguém ... sou conquistado. Pela obediência, pela entrega, inteligência, etc.
Acaba sendo curioso que, ao não conseguirem me moldar ao desejo delas, no final, ainda queiram me ensinar a conduzir as coisas .,,, rs.
Eu prefiro sempre ser claro e, quando tenho uma pequena abertura, dou mostras do que posso fazer ... e tenho segurança no que sei e posso realizar. Também tenho confiança na minha avaliação psicológica da sub: sempre, em pouco tempo, eu a surpreendo conhecendo seu íntimo. Bom ... estou apenas fazendo meu trabalho.
Esse empenho tem sua contrapartida ... é uma troca, afinal.
O que vejo é que, às vezes, as mulheres que desejam se submeter não tem muita noção da realidade em que estão se metendo. Se assustam com pequenas coisas, até ... e o medo faz parte disso, do BDSM. E eu sou sádico ... rs ... adoro ver alguém apavorada ... hehehe.
Mas é estranho que alguém se aproxime de um cara como eu, querendo que eu a domine "como ela quer". Eu sempre entendi isso como um jogo de adultos em que, quem dá as regras sou eu.
E, se me procuram, deve ser pelo que eu sou. Pelo que eu faço. Pelo que eu vou fazer ...
O grande poder do dom está em pegar uma mulher e transformá-la para ele. Eu tenho isso. Quem quiser, pode provar. Mas não tente me conduzir ... rs. Esse trem tem apenas um condutor. Quem quer uma relação horizontal, ainda que nas aparências, não deve se aproximar ... sou hard. HARD, HARD, HARD. E sei esperar ...
Até que alguém interessada no que eu tenho a oferecer, bata à porta do canil. Ser submissa é se submeter, não o contrário. E, sinceramente, ninguém tem a obrigação de me servir. Não gostou, procure outro! rs. E eu também não tenho nenhuma obrigação de possuir, então, por que eu mudaria? rs.
Algumas amigas se preocupam porque estou sem sub ... faz parte. Acontece ... rs. Mas eu prefiro assim, por ter certeza de que, quando acontecer, vai ser como EU quero. Non ducor, DUCO.
Bom café.



GtT
Dominador, SP

Texto publicado no Fetlife e gentilmente cedido pelo autor, Sr GtT, para publicação neste blog.

6 comentários:

{Λїtą}_ŞT disse...

Saudações, sr GtT.

Seu texto, tanto radical (diriam alguns) quanto bem humorado chega numa hora em que os papéis parecem estar se invertendo, onde, segundo um amigo querido, "o rabo parece querer balançar o cachorro."
E é sempre muito bom ver pessoas que têm um ideal e o mantêm, sem sucumbir ao atual quadro de rostinhos bonitos e corpos perfeitos em detrimento de uma submissão por essência, pelo prazer e satisfação.
Admiro quem mantém seus critérios; é a melhor forma de não se decepcionar e causar decepções futuramente.
Agradeço a colaboração e a valiosa contribuição.

RobertoDom disse...

texto pertinente cheio de verdades,infelizmente a submissão verdadeira está em extinção o que esta valendo hj em dia são caras e bocas

Anônimo disse...

Ser claro e direto e a melhor forma de fazer uma negociacao, parabens pela honestidade

isa_sub

eulalya_DCV disse...

ótimas palavras direto e franco e isso da submissa querer moldar o Dom a maneira delas é muito comum principalmente as que querem um "namoDOM" ou "príncipe encantado". E como o texto fala :BDSM é um jogo de adultos onde um manda e outro obedece, simples, as pessoas é que complicam muito e nunca estão satisfeitas e que eu saiba é o TOP que modela a submissa para o seu serviço e não ao contrário ou os tempos mudaram??

luah negra disse...

Saudações , Sr. GtT ...
Grata pela significativa contribuição .
Colocações pertinentes e bem-vindas nestes tempos em que vê-se tanta inversão de valores .
Suas palavras descrevem os princípios da D/s com a clareza e firmeza necessárias à formação de uma base sólida e sustentável .
"O grande poder do dom está em pegar uma mulher e transformá-la para ele."
Da ausência desse entendimento nascem as distorções , crescem os desentendimentos e assim , tudo se perde .
Perfeitas colocações .
Grata por compartilhá-las conosco .

Ricardo-DF quero casais disse...

QUERO MULHERES DE CORNOS (BRASILIA-DF)

>>> Eu sou Ricardo do Recanto das Emas, Brasília-DF sou comedor de esposinhas e quero meter minha pica em casadas, grávidas, gringas, noivas, solteiras, viúvas sedentas, mulheres coroas. Adoro comer as esposinhas dos meus amigos na frente deles.

>>> fudedor.de.esposas.df@hotmail.com

(whatsapp) (61) 8456-6055 Operadora OI.

>>> (61) 9285-0356 Operadora CLARO.

>>> BRAZIL Brasília-DF (Recanto das Emas)