1 de mai de 2014

O Real Valor de Uma Coleira


Desde que comecei a servir a meu Dono, houve um dia que foi o mais especial de todos, que superou os melhores momentos que já tivemos juntos, e este, foi o dia que recebi de suas mãos minha primeira coleira.

Se há, hoje, para mim, motivo de orgulho, posso dizer que este orgulho está diretamente ligado ao fato de eu portar em meu pescoço uma coleira, que fora colocada por meu Senhor. Não estou me referindo a uma coleira qualquer: é a MINHA coleira! É aquela que meu Dono escolheu para mim (que, no meu caso, confeccionou com as próprias mãos), é aquela que hoje me identifica como sua propriedade! Lembrando desse dia maravilhoso em que a ganhei, comecei a refletir no quanto é honroso para uma escrava portar a coleira de seu Dono, e do quanto é profundo seu significado.

Vejo com tanta tristeza o quanto, hoje, tem sido banalizado o uso de uma coleira! É tanta troca-troca... tira daqui, coloca ali, pega outra acolá... "- Assim não está bom, pega de volta que eu vou atrás de outra"! Não é incomum, hoje em dia, vermos as pessoas trocando de coleira como quem troca de roupa – ou de acessório... banalizou, é a verdadeira “dança das coleiras”, como costumamos brincar, meu Dono e eu.

Mas, quem bem conhece o real significado de uma coleira, sabe que não há joia neste mundo, por mais cara que seja, com a qual ela possa ser comparada. Pensando em meu encoleiramento, cheguei a algumas conclusões, que hoje compartilho com vocês. Sempre dizemos que a coleira é o sinal da posse da escrava a seu Dono, e realmente o é, mas consigo enxergar um significado que vai além disso.

Se bem observarmos, é na coleira que a guia é colocada, o que nos leva a uma reflexão mais profunda quanto ao seu significado. Quando vejo minha coleira, entendo que existe uma mensagem que este “adorno” carrega em si: muito mais do que um sinal de posse, quando eu a uso em meu pescoço, estou dizendo a todos que posso ser guiada por aquele que a colocou em mim! Significa que, onde quer que eu esteja, existe alguém que irá determinar se irei para a direita ou se irei para a esquerda, se irei para frente ou se irei para trás. É meu Dono quem irá determinar se fico parada, ou se devo caminhar... a guia está nas mãos dele, e é ele quem decide para onde me levar. É meu Dono quem decide se caminharei ao lado ou se caminharei atrás. Possuir uma coleira em meu pescoço significa, então, que não sou mais eu quem escolhe meus próprios caminhos, há quem os decida por mim - é esta, talvez, a maior representação de dependência de alguém.

Portar uma coleira, portanto, é, para mim, estampar com orgulho o que representa a total confiança que tenho ao me entregar àquele que se fez meu Dono. Digo isso, simplesmente, porque não se deixa ser guiada por quem não se confia! Para me deixar guiar, é necessário que eu tenha uma confiança cega de que, não importa para onde meu Senhor irá me levar, sei que ele me levará para um lugar seguro. Independente de onde eu vá, estou sendo cuidada por ele e, se minha vida hoje é lhe servir na totalidade de meu ser, é nas mãos de meu Dono que está a direção que devo seguir.

Se meu Senhor tem minha guia em suas mãos, estou tranquila, porque sei que, se houver pedras no caminho, é ele quem me guiará para me desviar – ou não! Talvez ele até decida que tenho que passar pelas pedras, afinal, se ele assim o faz, com certeza, sabe por quê. Se começar a chover, é ele quem irá me guiar para o abrigo. Se o chão estiver quente demais, quem sabe até ele me pegue no colo pra não queimar meus joelhos e mãos... Mas, se ele achar que eu aguento passar pelo calor, tudo bem, porque depois sei que ele cuidará de mim. Enfim, não importa a direção que meu Dono me der, não importa o caminho que irei seguir, a finalidade será sempre uma só: servi-lo como ele quer!

A propósito, não somos nós, a maioria, chamadas por nossos Donos de cadelas? Engraçado que esta sempre foi para mim a expressão mais chula e depreciativa que já ouvi com relação a uma mulher, no entanto, hoje vejo o quanto isso deixou de ser pejorativo pra mim, passando a ter um significado muito mais belo, afinal, uma cadela é a mais fiel de todos os animais! A cadela é quem possui amor incondicional a seu Dono... a cadela não faz nada para receber algo em troca, não há egoísmo em seus sentimentos... o amor de uma cadela é o mais puro e o mais sincero. Não importa se o Dono acabou de brigar, disciplinar, ela está feliz por pertencer a ele, e jamais desejará ter outro! Se o Dono está feliz, ela está feliz... se o Dono está mal, ela sente o mesmo, mas não fica parada, antes, faz de tudo para agradar e não descansa até devolver-lhe o sorriso no rosto!

E, se é para falar de significados, existe um predicativo que não posso deixar de mencionar, que tão popularmente conhecemos, e que tão bem define uma cadela: um ser “fiel”! Sim, fiel! E é isso o que nós, escravas, somos... é assim que eu sou para com meu Dono: sou a escrava fiel, que se alegra com sua alegria, ou que trabalha contra sua tristeza! Sou a escrava cuja maior felicidade do dia é estar em sua presença! Sou a escrava que baixo a cabeça para receber a guia, e que me deixo ser conduzida para onde ele determinar. Sou a escrava que, aconteça o que acontecer, é ao lado de meu Dono que estarei, e dali não sairei.

E, como boa cadela que sou, minha maior honra e orgulho é pertencer ao meu Senhor! Sou uma cadela de coleira! Ouso ainda dizer que, mais do que uma coleira em meu pescoço, possuo hoje a mais importante delas, que é a coleira portada na alma! Se eu não a tivesse em minha alma, o que levo em meu pescoço não passaria de um simples acessório! E sou tão feliz por tê-las...

Diante de tudo isso, digo ainda, que não existe maior honra para uma escrava que portar a coleira de seu Dono, assim como, de igual maneira, não existe maior honra para um Dono que olhar sua escrava, e vê-la na mais bela expressão de seu ser: olhos devotos, a baixa cerviz, e uma coleira, a Sua coleira, atada em seu pescoço!


Cedna_Steel
escrava, SP


Próximo post:

Conversa entre submissas II

dia 04/05/2014

20h

Não perca!

9 comentários:

{Λїtą}_ŞT disse...

Cedna, nada mais a declarar sobre o valor de uma coleira e a banalização que vemos hj em dia. Vc disse tudo, apenas te parabenizar por sentimentos tão lindos em relação à sua. Sinto-me irmanada com vc nesse sentimento pq a minha tb é meu orgulho, minha alegria e faz parte de mim e do que sou hoje.

"Se meu Senhor tem minha guia em suas mãos, estou tranquila, porque sei que, se houver pedras no caminho, é ele quem me guiará para me desviar – ou não! Talvez ele até decida que tenho que passar pelas pedras, afinal, se ele assim o faz, com certeza, sabe por quê."

Lindo lindo lindo isso... lindo demais!

Beijos

Anônimo disse...

Parabéns! Pela lucidez emocionante, pela demonstração de beleza e pela clareza! Emocionada aqui por ler algo tocante na alma dessa escrava.
Beijos,
{desirée}_DOM PIETRO

Branquinha Flor de Dom Yasser disse...

Exatamente assim que me sinto em relação ao DONO e a minha honrada Coleira. Voce expressou o que todas nós submissas sentimos. Parabéns!

ternura disse...

Olá Cedna,

há tempos não leio um txto, no qual me vejo em cada linha....com o seu txto, me vi, me emocionei e, uma vez mais, tive a certeza que este é o caminho para minha realização. Magnifico !!!

Falando pelo aspecto físico:

Acredito que o uso de tal acessório, demonstra o orgulho que A/ambos demonstram pela escolha. e a submissa a Honra de carregar o nome do Dono perante todos.

Em relação ao aspecto psicológico e emocional....vou tomar a liberdade de citar uma das emocionantes passagens de seu txto:

'Se eu não a tivesse em minha alma, o que levo em meu pescoço não passaria de um simples acessório!'...PERFEITO!!!

obrigada por compartilhar!

bjs ternos

Cedna Steel disse...

Vita, desiréé, branquinha e ternura, este foi um dos textos que mais gostei de escrever, fluiu com muita naturalidade, talvez forte significado que a coleira tem pra mim, assim como tem para vocês!

Este tema estava no meu coração desde que ganhei minha primeira coleira há uns meses atrás, e só agora tive a oportunidade de falar a respeito.

Que bom podermos partilhar de coisas tão boas, não é mesmo meninas?

Bjo no coração de vcs!

Amar do Sr. DIABLO disse...

Linda menina Cedna do Sr Steel!

Você expressou perfeitamente o pensamento das submissas em relação ao tema. Não é pq não a usamos que vamos ser menos submissas, mas com certeza a coleira no nome nos confere júbilo e honra. Ela nos traz um sentimento indescritível.

Há três anos servi ao SENHOR DIABLO sem a coleira no nome. Se ELE não me deu, eu não pedia pq sempre tive pra mim que ela deveria vir de forma natural e por desejo do DONO.
Mas, seu texto mexeu tanto comigo que peguei meu orgulho, depositei no chão aos pés dELE e humildemente implorei:
Posso, meu DONO, assinar "Amar do SENHOR DIABLO"?
ELE ficou um tempo calado. Minha cabeça estava baixa e meus olhos presos ao chão. E quando ELE disse: "PODE, AMAR!"... foi como se eu estivesse nas nuvens... chorei baixinho de pura emoção.

Portanto, menina querida, só posso te agradecer pelo texto lindo, que me encorajou a suplicar por aquela que sempre tive no coração e na alma, mas que eu desejava tanto junto ao meu nome.

Obrigada, volte mais vezes a compartilhar seus textos com os leitores do *escravas&submissas*.

Beijo no coração!

Amar do SENHOR DIABLO!

MJ disse...

Parabéns pela clareza da sua discrição!
De facto toca a alma.
Gostava de encontrar uma cadela assim para mim, faz muito tempo que procuro uma mulher assim é nunca consegui encontrar!

MJ disse...

Parabéns pela clareza da sua discrição!
De facto toca a alma.
Gostava de encontrar uma cadela assim para mim, faz muito tempo que procuro uma mulher assim é nunca consegui encontrar!

Escrava Anita disse...

Adorei suas postagens!
Preciso de sua ajuda.
Meu email é escravaanita@gmail.com
Estou com algumas duvidas.
Obrigada.