6 de dez de 2015

Conversando sobre a espera



Devido ao crescente número de meninas que me procuram com dúvidas sobre a espera, resolvi falar um pouco do que penso sobre o assunto e assim, esclarecer de uma vez esse ponto. Não que tenha autoridade para citar normas ou regras mas pela experiência que adquiri nesses anos vivendo o BDSM, observando e ouvindo histórias, tenho opinião formada sobre o assunto. É do que vou tratar aqui, esperando ajudar algumas pessoas e lembrando que é apenas a minha opinião.
Sabemos que a espera é um dos mais difíceis itens da submissão, um verdadeiro teste de paciência, resignação, confiança, segurança, equilíbrio...
Para abordar o assunto, baseio-me em uma das últimas mensagens que recebi sobre o tema, com a devida autorização da interessada, cujo nome será suprimido por questões éticas.

-------- 27F
Sao Paulo, Brazil
written 14 days ago:
Olá vita !
Sou uma iniciante e por saber da sua experiencia vim pedir uma ajuda se não for encômodo , se não quizer me responder vou entender mas gostaria de saber quanto tempo devo esperar por meu DONO ? Nos conhecemos 4 meses atrás e negociamos falando todo dia até o primeiro encontro em outubro .
Depois do encontro ELE teve um problema grave de família e me pediu que esperasse mas agora quase 2 meses depois eu não sei se devo continuar esperando pq estou perdendo as forças e choro todos os dias sem saber o que aconteceu com ELE .

A mensagem continua dando outros detalhes mas essa parte é suficiente.
Quem me conhece sabe que tenho opiniões bem radicais sobre a submissão. Deve haver compromisso, humildade, obediência e foco. Exigências e mimimis estão fora do pacote.

Contudo, ao mesmo tempo que espero ver comprometimento em uma submissa, espero o mesmo em relação aos Donos. Inegável que eles tenham mais direitos, ou todos os direitos, mas têm também seus deveres. E é dever do Dono cuidar do que possui. Como cuidar é decisão dele mas é preciso que fique claro que quem se intitula Dono, deve cuidar.

Há pouco tempo escrevi em meu próprio blog um texto que compara plantas a escravas e onde disse que, apesar das plantas nada pedirem, elas murcham se não as regarmos.
Assim é a submissão. Se não for alimentada ela também murchará, se consumirá.

Diante de tudo isso, quanto tempo deve durar uma espera? Não sei.
Existe um tempo estipulado para uma espera? Acredito que não.
O que existem são motivos.
Que motivo você tem para esperar? Vale a pena?
Se vale, é um ponto importante a considerar... mas não fica por aí.
Sabemos que na espera a submissa deve se manter serena, equilibrada, confiante, fiel.
No entanto, quem espera, espera por alguma coisa.
Outra questão importante é: pelo que você espera? Por quanto tempo? Qual o motivo?
Alguns diriam que o Dono não tem obrigação de dar explicações sobre suas ausências.
Eu digo: tem sim!


Para manter a submissa esperando serena, confiante e fiel, é necessário dar suporte para que ela sinta-se assim.
E ninguém consegue manter-se segura e equilibrada sem saber o que espera, por quanto tempo e o que motivou a espera. Sem isso o que existe não é espera; é abandono.

Não estou afirmando aqui que um Dono deva dar minuciosas satisfações de sua vida pessoal, mas deve dar algo em que se possa confiar, se apegar no momento da ausência. Agindo assim ele estará também demonstrando confiança em sua submissa.
A confiança é uma via de mão dupla e se houve uma entrega é porque houve confiança suficiente de uma das partes... por que não pela outra?

Outro ponto importante para uma espera serena é o contato. Com toda a tecnologia a favor da comunicação entre as pessoas não há razão, a não ser em caso de morte ou doença gravíssima, para não manter contato, não dar uma notícia e uma palavra ou outra que tranquilize a submissa e a fortaleça na ausência.
Sabemos que a vontade do Dono é soberana e ele decide sobre cada um dos itens falados aqui: contato, comunicar motivo de ausência ou não, é direito dele. Mas, não fazendo isso, ele estará cuidando? O cuidado é um dever, também, legítimo.

Diante disso, minha conclusão é a seguinte: Não existe um tempo específico para uma espera. Cada uma sabe o que tem e se o que tem vale a pena. Mas deve-se refletir sempre o seguinte: o que estou esperando? Por que estou esperando? Até quando estou esperando? Se você não souber responder a nenhuma dessas perguntas, alguma coisa está errada.

Cada dia que se passa não tem volta, portanto, é uma grande responsabilidade deixar alguém esperando pois perda de tempo é perda de vida. Pense nisso e verá se sua espera tem valido a pena.

Deixo aqui um texto baunilha que, adaptando ao nosso estilo de vida, cabe na situação.

"Quem quer não adia, aparece. Quem quer te ver agora, não vai deixar pra amanhã, mesmo que a distância seja incalculável ou já seja tarde pra isso. Quem quer, não deixa pra depois o que pode ser feito agora. Quem quer ficar, fica sem que a gente precise implorar. Quem quer cuidar, simplesmente cuida. Quem quer, provavelmente não vai suportar a saudade, não vai poupar sentimento e entrega pra te ter.
Quem quer, arruma um jeito. Quem sente vontade, faz saudade virar encontro, faz cinema virar motel, faz o cansaço virar amasso, faz dias frios mais quentes. Quem quer é capaz de viajar 100 quilômetros só pra te ver, e não interessa se o tempo fechou tão rápido, quem quer não vai pensar duas vezes em te ver hoje ou deixar pra próxima semana. Quem quer, não vive de conversas, não perde tempo, não arruma mil e uma desculpas pra justificar que não vai dar pra te ver hoje porque o dia foi cansativo demais.
Quem tem saudade do teu sorriso não se contenta só em ouvir a tua voz pelo celular, quem quer estar com você sentirá necessidade de te ver pra conversar sobre como foi o seu dia, sobre todas as coisas que te fez perder a cabeça e vai entender que é melhor te abraçar nos momentos mais difíceis do que te mandar um ''fica bem'' por mensagem..." (Iandê Albuquerque)


Espero ter ajudado.

{Λїtą}_ŞT

Feliz propriedade do Senhor da Torre



29 comentários:

Vanessa Flor disse...

Não gosto da palavra: DONO... mas respeito

O homem tem sim de ser aberto, confiar e dar confiança à sua parceira. Quem espera, desespera. Esperar sim mas com o apoio do outro parceiro. Ficar escrava da espera, não concordo
.
Gostava que me visitasse.
.
Feliz Domingo

geovana_submissa disse...

Belíssimo texto.
Parabéns!
Beijos doces

Diana_Kaduscorp disse...

Ótimo texto, como sempre! A espera faz parte da vida da submissa, aprender a esperar é fundamental e pode transformar a espera em prazerosa submissão. Desde que o Dom tenha os cuidados que o texto chama atencão, ou a espera vira tortura ineficaz.

kelory disse...


**Há pouco tempo escrevi em meu próprio blog um texto que compara plantas a escravas e onde disse que, apesar das plantas nada pedirem, elas murcham se não as regarmos.
Assim é a submissão. Se não for alimentada ela também murchará, se consumirá.**

Concordo totalmente com o que você escreveu, a falta de contato mina aos poucos a submissa, eu me sinto assim quando sirvo um dominador mas ele não compreende quanto a falta de contato dele mina minha energia e vice versa.

Parabéns pelo texto.

umbra_ disse...

Em tempos escrevi sobre a ESPERA.
Não é fácil lidar com essa espera.

"Nunca soube ser paciente!!!

Quando quero, quero logo!!
Quando me apetece, tem de ser já!!
Quando começo ligeiramente a embirrar, sei que já fugi de vez.
Sempre fui assim. De poucas esperas e explicações.

Até que me fez aprender a esperar.
Ensinou-me o que é querer algo realmente a sério.
Fez-me perceber que quando se quer muito, aprende-se a aguardar.
Não sem reclamar, espernear e duvidar. Mas aguardando. Em modo de espera. Sossegada."

A espera é uma forma de AMOR.

Beijos doces e parabéns pelo texto.

{Λїtą}_ŞT disse...

Linda Vanessa Flor, entendo que vc, não vivendo esse estilo de vida, não suporte a espera, mas isso faz parte da vivência submissa.
Só que a espera pode ser serena ou um inferno... depende do Dono.
Eu te visito, sempre.

Beijos e obrigada pela presença

{Λїtą}_ŞT disse...

Que bom que gostou, geovana_submissa... fico feliz.
Muito obrigada... beijos para vc

{Λїtą}_ŞT disse...

Diana_Kaduscorp, a espera faz parte, e parte importante. E não é fácil. Mas dependendo de como se conduz, pode tornar-se mais serena. Eu nem sempre pensei assim, já fui mais radical achando que Dono não devia explicação de nada, mas a vida me tornou mais flexível e, olhando pelo lado humano de todas nós, precisamos sim saber pq esperamos... é o mínimo.
Beijos e obrigada

{Λїtą}_ŞT disse...

kelory, a falta de contato gera distanciamento, perda da intimidade, não deixa que se instale a cumplicidade, ou seja, só faz mal.
Enquanto alguns não entenderem isso, não serão bem servidos.
É preocupante o número de "sumiços" e consequentemente, o número de submissas esperando não sei o quê.
Muito obrigada pela preciosa presença.
Beijos para vc

{Λїtą}_ŞT disse...

umbra querida, que frase linda vc deixou aqui:

"A espera é uma forma de AMOR"

De fato, é uma forma de amor e entrega. Mas é preciso que, do outro lado, haja tb se não amor, ao menos consideração.
É a diferença entre esperar serenamente ou angustiada.

Muitos beijos e obrigada pela presença

WOLF disse...

Não tendo essas vivências do mundo BDSM,(como bem sabes)mas sendo um assunto transversal a qualquer relação,a ausência,tenha ela "regras" ou não,concordo com aquilo que escreveste e com a tua opinião,num mundo como o actual não há forma de estar ausente se houver vontade,quem não cuida,não pode ter,e algo muito importante que disseste,um dia que passa não volta atrás,e sendo a vida tão curta,merece ser o tempo desperdiçado com quem não nos respeita,seja de que forma for?na minha opinião,não.

Beijinhos

amanda_aprendiz disse...


Como sempre....um.primor.

J_pehr disse...


Parabéns pela abordagem do assunto vitinha. E compartilho da mesma opinião que a sua: "Quem espera, espera sempre por algo".
Existem milhares de motivos que fazem uma submissa esperar. Ahhhhh e como existem!!!!
...
Mas fugindo um pouco do assunto. óbvio que trazemos para o mundo bdsm alguns elementos da vida baunilha. E atualmente, o que vemos por aí, são sites de relacionamento vários e apps do tipo...que proporcionam o encontro com vários(as). Temos a formatação de "prateleiras" lindas...é só escolher.

Pois bem, a era digital trouxe facilidades várias...desde uma breve pesquisada no google pra saber de uma prática qualquer (riscos nem sempre ditos - vamos fazer adoidado sem tomar precauções), passando pela procura de parceiros. E com elas, as mensagens instantâneas. Para muitos, o visualizar de uma mensagem e não responder, é algo corriqueiro. Pra mim e da forma como fui ensinada - tanto em casa, como no trabalho - é falta de educação.

E isso também é refletido no BDSM. Está ficando cada vez mais comum. Algo triste e perigoso. Pois demonstra o quanto estamos nos perdendo, quando o assunto é sobre relações - de variados tipos.

Eu trago uma máxima comigo: se desejo excelência, também procuro pela mesma. Se desejo conviver com pessoas que me trazem bem estar, também procurarei proporcionar bem estar. Hoje, todos querem o melhor, mas não se esforçam para tanto. O que vc sabiamente expôs, mas com outros dizeres.
:/

Beijos e obrigada por compartilhar seus ricos pensamentos. E putz..eu falo pra chuchu!!! Kkkkkkkkkkkkkkk. :s
...

Li isso hoje no BBC Brasil, algo pra refletir:

http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/12/1512…

ternura_B disse...


'...a espera pode ser doce ou um inferno, depende de quem a conduz.' (2)
exatamente, depende de quem a conduz !!!

{Λїtą}_ŞT disse...

Exatamente, WOLF.

Não precisa estar vivendo uma D/s, tudo que foi dito aqui vale para qualquer relação. Sentimentos, ou uma entrega devem ser correspondidos e valorizados... se não, é melhor deixar que a pessoa se vá para ter uma outra chance de ser feliz. Fazer alguém perder tempo é uma responsabilidade muito grande.
Mas no meio BDSM acontece muito essa espera, faz parte da vida submissa e sabemos disso. Só que a espera pode se dar em paz e segurança ou na angústia e indecisão, só depende de quem a conduz.
Muito obrigada por sua valiosa participação.

beijos

{Λїtą}_ŞT disse...

Muito obrigada, amanda_aprendiz. Não um primor, apenas um pensamento.
Obrigada pela gentil presença.
Beijos para vc

{Λїtą}_ŞT disse...

J_pehr, minha linda, vc fala sim... pra chuchu : )
Mas que fala linda! Enriqueceu o texto e ainda trouxe esse link maravilhoso que só completa tudo que eu disse.
Sim, estamos sendo afetados por essa onda de desprezo pelo sentimento alheio onde as pessoas somem no ar pq a facilidade é grande.
Mas educação, caráter, generosidade não se aprende, vem na alma, então o melhor mesmo é escolhermos com quem nos relacionamos e por isso estou sempre escrevendo, falando, cuidem-se, escolham muito bem a quem vão se entregar.
E a vc, obrigada por vir aqui embelezar e enriquecer o que eu disse, lindamente.
Beijos, queridíssima

{Λїtą}_ŞT disse...

ternura_B... não é verdade?
A espera pode ser na paz, na serenidade ou na angústia, depende de quem nos deixou esperando.
Vc sabe que eu nem sempre tive essa opinião, sempre achei que o Dono tem todos os direitos e continuo achando, é claro... mas que tinha até o direito de sumir sem dar explicação. Não, está errado.
É o mínimo para quem se entregou, para quem serve e se dedica, saber o pq da espera.
Eu espero, vc sabe, minha vida é esperar, mas, muito bem segura e em contato constante. Isso é o que todas deviam ter.
Beijos

nutte_MD disse...


Linda vita_ST....

Adorei a postagem, a espera quando bem orientada e assistida só nos leva a crescer e evoluir como escravas, pois nos faz entender qual é a nossa posição dentro do relacionamento que é o de servir e não sermos servidas. Nos desapega dos antigos vícios dos relacionamentos baunilha que eram o de cobrar, exigir explicações e qualquer outra coisa que valha.

Como escrava e dentro do tipo de relacionamento que vivo com o meu Senhor não tenho direito algum (nem mesmo o de devolver a coleira) e dentro disso tenho aprendido que qualquer explicação que meu Dono me dê quanto a espera é como se fosse um bônus que Ele em Sua generosidade me contempla e me faz entender que fiz a escolha certa ao aceitar ser Dele e que o Mesmo me honrou em poder carregar o Seu nome. Enfim todo o cuidado que meu Senhor tem faz com que eu entenda que não recebo isso por mérito meu ou porque eu mereça mas porque Ele é um Dominador que sabe que a Sua plantinha precisa.

Esse tipo de comportamento faz com que eu me sinta segura e confie de olhos vendados em todo o momento, mesmo nas situações mais difíceis que Ele sendo um Sádico psicológico e físico me proporciona viver.

Infelizmente não vemos esse tipo de comportamento em muitos Dominadores/Dommes do meio o que acaba gerando sofrimento e o sentimento da(o) sub de insegurança.

Beijos querida parabéns pelo tema abordado!!!

Chris_Rock disse...


Vita.... Que texto! Perfeito! Vc é uma pessoa muito especial. Lembro-me bem quando precisei dos teus conselhos, que foram para mim, preciosos!! Bjos!

{Λїtą}_ŞT disse...

Então, nutte_MD...

Escrever esse texto me custou um pouco. Preocupei-me por estar mexendo com algo que respeito muito: a autoridade do Dominador.
Quando nos entregamos e transferimos o poder estamos dando autoridade até mesmo para as ausências, inclusive sem explicação.
Mas, pensando melhor, chegaremos a conclusão que, "Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm." (Coríntios 6:12).
Direitos são direitos... mas e quando esse direito passa por cima do dever?
É dever do Dono cuidar e deixar uma submissa esperando na insegurança, na angústia da indecisão pode ser direito... mas convém?
O melhor mesmo é quando eles nos dão de graça essa segurança, como faz o seu Dono, como faz o meu mas, infelizmente, nem todos fazem assim.
Muito obrigada pela sua valiosa participação, vcs sempre acabam enriquecendo em muito o que escrevo.
Beijos para vc querida... saudações respeitosas ao seu sr

{Λїtą}_ŞT disse...

Chris_Rock, especial é vc.
Hj em dia é tão difícil alguém ter a humildade de procurar outra submissa para pedir conselhos que quando essas meninas me procuram eu penso logo: aí está alguém que tem a maior qualidade para uma submissa.
Vc é uma dessas e me ensina muito tb, todas vcs.
Muitos beijos e obrigada : )

desirée disse...

Como sempre perfeitamente lúcido lúcido e coerente.
Gostaria de fazer uma colocação de meu ponto de vista.
Concordo que muitas vezes a espera parece demonstear falta de respeito e até mesmo causa indignação. Porém temos de ter equilíbrio e racionalidade suficiente para analisar profundamente em quais pilares a relação foi construída e em que foi baseada a dinâmica da mesma.
Percebo hoje em dia uma superficialidade no conhecimento de um sobre o outro. Percebo que existe uma construção fantasiosa de relações públicas e notorias em termos de cumplicidade e parceria. O que fragiliza e constrange no fato de que lidar com a realidade pode e é doloroso e complexo. Construir relações é um exercício diário e constante de disciplina, priorizando o diálogo, a transparência e principalmente a amizade. Sendo que tudo deve estar fundamentado na confiança e no bom senso.
Então há de se pensar em que ponto houve a falha para haver o distanciamento? Por vezes imputamos a culpa ao outro e esquecemos que uma relação é feita por duas pessoas, onde cada uma assume a sua parcela de responsabilidade pelo fato de algo estar errado.
Enquanto as pessoas não buscarem conhecer a si próprias verdadeiramente e não aprenderem a compartilhar com o outro suas dúvidas, medos e questionamentos dentro da relação de forma franca e honesta,teremos sempre o distanciamento que gerará uma espera sem fim.
A pressa em ter ou estar em uma relação é quase sempre o motivo de grande frustração e tristeza.
Beijos ternos da D ❤ ❤ ❤ ❤!

{Λїtą}_ŞT disse...

Perfeito, desirèe!

O que me deixa mais feliz em compartilhar pensamentos é que vcs aparecem e sempre acabam extrapolando o que escrevi, enriquecendo com as opiniões de vcs.
Sim, a pressa costuma ser a raiz de todo o mal. Quando as pessoas se conhecem e constroem bases sólidas e cúmplices na relação, essas inseguranças não vão existir pq um não vai deixar o outro nessa situação.
Eu tenho, no dia de hoje, assim como tive ontem e terei amanhã, que meu Dono vai ligar e falar comigo.
E tenho certeza tb, apesar de estarmos há mais de 2 meses sem nos vermos, que o encontrarei em breve. Pq eu tenho essa certeza? Pq o conheço.
Por isso concordo tb com vc nesse item.
Obrigada pela valiosa presença e participação.

Beijos, querida

Anjinha Sexy disse...

Hummmmm belíssimo texto.

Beijoos- visite-nos aqui-> http://anseiosedevaneiossexuais.blogspot.pt/

{Λїtą}_ŞT disse...

Obrigada, Anjinha.
Eu os visito sempre pq gosto muito daquele cantinho.
Beijos

Rebeca disse...

Olá vita!

Bacana vc trazer esse tema para podermos nos fortalecer (para esperar ou não) a pessoa que vale a pena.

Essa espera faz parte da vida que escolhemos e é doída, muitas das vezes quando não nos encontramos fortalecidas, ela nos faz ficar doente, e acabamos enfiando os pés pelas mãos. rs*

Agora, quando nos sentimos "queridas", seguras e cuidadas, toda essa angústia da espera se torna suportável. Apesar da correria do dia-a-dia, da crise global, da alta do dollar...rs*....se os Dominadores pudessem tirar 5 min do seu dia para falar um Olá, só isso ja nos manteria firmes, capazes de tudo para fazer seu Senhor feliz.

Precisamos de pouco....acho que a palavra que cabe aí é Consideração.


Adorei te ler. Pisc*

Beijos!

{Λїtą}_ŞT disse...

É o que digo sempre, Rebeca.
Num dia de 24 horas inteiras, será que não sobra um minutinho? Sobra sim.
É por sadismo? É por direito? Tudo bem, respeito tudo isso... mas não se pode esquecer o cuidado pq já vi pessoas verdadeiramente desesperadas por ausências que mais poderiam ser chamadas de sumiços.
E sumiço só se justifica com morte ou doença gravíssima. Fora isso, deve-se ter a consideração (sim) de ao menos dar um alô para aquela que espera.

Beijos e obrigada pela passagem

Anônimo disse...

Oi quero te conhecer.Moro em sorocaba, onde tenho local discreto para encontros todavia posso ir até vocês.Tenho pele clara, corpo musculoso, cheiroso, culto, de excelente nível e tenho fotos para trocarmos.Procuro mulher fogosa e casal cuja esposa seja safadinha e liberada pelo marido.Adoro longas preliminares, toques sutis, clima de sensualidade e demoradas penetrações, sem baixarias e envolvimento emocional ou financeiro.
Meu e mail é claudiosorocaba@bol.com.br
Entre em contato para colocar em prática seus desejos mais íntimos e fetiches sexuais, visando a intensos momentos de prazer e carinho, com respeito, higiene e sigilo.Tenho ótima saúde comprovada por exames médicos preventivos, uso camisinha e sou limpinho.
Venha gozar sendo dominada, levando seus instintos de fêmea ao extremo, aguçando seus sentidos em busca do prazer