26 de jul de 2014

Um tom de realidade


E finalmente chega o trailer do filme Cinquenta Tons de Cinza, arrebatando milhões de pessoas pelo apelo do romance apimentado pelo sadomasoquismo.
Os praticantes de BDSM, que em sua maioria não gostaram da trilogia recheada de clichês - como o da mocinha virgem e inocente, com uma vida sem graça que se encanta pelo milionário rico, bonito e sedutor que a apresenta ao sadomasoquismo - por não retratar a realidade de quem tem o BDSM como estilo de vida e começam a comentar o trailer em opiniões divididas. Enquanto alguns mantêm a opinião sobre o livro, outros já consideram ver o filme. 
A diferença está, provavelmente, nos apelos visuais do filme. Sensualidade, erotismo, atores bonitos, cenas marcantes, muito romantismo e fantasia sim... afinal, quem nunca viajou em fantasias românticas que atire a primeira pedra. Cinema é entretenimento e fantasiar também faz parte do show.



Quanto à veracidade dos fatos mostrados no livro e consequentemente no filme, sabemos, não retratam fielmente a realidade de quem vive o BDSM.
Tivemos discussões acaloradas em grupos e comunidades sobre os prejuízos que o romance causou ao meio, trazendo um grande número de curiosos procurando encontrar ali o glamour de Christian Grey, rico, bonito e poderoso, mais príncipe encantado que Dom. E pela submissão conquistada não apenas pela sedução mas também com presentes caríssimos, desvirtuando sua verdadeira essência, despojada e desvinculada de favorecimentos financeiros, além de passar a falsa impressão de que pessoas que praticam sadomasoquismo têm um histórico de vida traumático e nebuloso que as levaram a isso.
Resta, a quem se interessar pelo tema através do filme, saber separar a fantasia da realidade. 
E a quem já é praticante, encarar o romance, seja no livro ou no cinema, como entretenimento e nada mais.
E boa diversão!




{Vita}_ST
Feliz propriedade do Senhor da Torre

9 comentários:

RobertoDom disse...


Vita excelente texto direto e preciso,foi direto no ponto;
vendo os dois lados da moeda
explicativo,reflexivo muito bom mesmo
postagem de primeira parabens

{Λїtą}_ŞT disse...

Obrigada, sr Roberto.
Fico feliz que tenha gostado e mais ainda que seja leitor do blog.
Um grande abraço : ]

ametista disse...

Gostei de seu modo de ver e explicar sobre esses famosos 50 tons vita...concordo com o Sr Roberto...reflexivo mesmo...como sempre você arrasa amiga....beijos!!!(seu blog é lindo)

{Λїtą}_ŞT disse...

Obrigada, ametista. O blog é NOSSO, conto com vc aqui tb pq tem muito a dizer.
Beijos e muito obrigada : ]

luah negra_propriedade de DOM JH disse...

Muito boa a sua colocação , vita !
Contrariamente a linha do ame ou odeio-o , que é a que vem se destacando no que se refere aos livros , prevaleceu a imparcialidade , pois , trata-se de um filme que pode ser interessante como outros e ainda com um atrativo a mais pela referência ao BDSM .
Assim como o livro , o filme também causará muitas discussões no meio BDSM . Gostando ou não , o filme alcançará um público ainda maior , gostando ou não , eles estão entre nós e a nossa realidade . Realidade essa que sabemos diferenciar da ficção , porém , que nem todos saberão fazê-lo .
Se isso nos trará prejuízos ou não é uma outra questão , certo mesmo é que , por motivos diversos , muitos de nós assistiremos ao filme . E , mesmo entre nós , cada um o verá por óticas diferentes , e todas igualmente válidas .
Análise clara e objetiva , parabéns .
Beijos em ti .

{Λїtą}_ŞT disse...

Ô menina que me entende!
É isso mesmo, luah negra_JH. Não adianta espernearmos, o romance foi escrito, foi um sucesso estrondoso e agora vem o filme para arrebatar inclusive quem não leu o livro, ou seja, teremos mais pessoas chegando através dessa história, atrás de uma linda história de amor vivida com um Dom-príncipe encantado que, de quebra, transforma a mocinha em uma princesa com presentes caríssimos.
Mas temos Cinderela tb, Branca de Neve e todas as princesas dos contos de fadas que encantam na literatura e no cinema e nem por isso existem.
Cabe estarmos com os pés na realidade (e no chão da senzala)... mas eu vou ver o filme sim!

Beijos

luah negra_propriedade de DOM JH disse...

Mas é tão simples de entender , vita...principalmente quando tão bem colocado assim .
Difícil é entender o radicalismo .
E só assiste quem quiser . Eu pretendo assistir , estou curiosa e vou de coração e mente abertos , só depois poderei julgar .
Beijos

{Λїtą}_ŞT disse...

Então, luah... É uma obra como tantas outras onde o sadomasoquismo foi usado para apimentar, atrair a atenção e o objetivo foi alcançado. Que isso prejudica o meio é verdade, que passa uma ideia errada é verdade mas cada um tem o direito de escrever o que quiser, assim como vai ler como quiser e assistir quem quiser, afinal, somos todos livres.
O livro e o filme não me representam... rs. Vou ver por curiosidade, para saber como o diretor lidou com isso e tb para viajar um pouquinho que não é crime... rs.
Dia desses assisti Malévola, uma fada que voa e tem poderes... príncipe Grey diante disso não é nada.
Beijos

Rebeca disse...

Olá, vita!

Eu li a trilogia e me diverti, como me divirto lendo qualquer outro livro.
É claro que é pura fantasia, mas como é gostoso viajar na maionese as vezes...rs*. Tira um pouco da seriedade do dia-a-dia. Além do quê, é divertidíssimo estar numa roda de amigas baunilhas e escutar os suspiros e comentários sobre o livro.
Vou assistir o filme e se me distrair independente de qualquer verdade, para mim vai estar valendo.

Beijos!