20 de jun de 2014

Letras que gritam


Dessa vez o assunto vem de uma opinião minha, muito pessoal, que com toda certeza vai na contramão da opinião geral, mas acho importante ressaltar: as letras que gritam.
Há alguns anos atrás - não posso especificar quantos pois o costume já existia antes de mim -  era  comum o uso de letras maiúsculas por parte dos Dominantes no BDSM. 
O motivo não sei dizer ao certo, talvez para diferenciar, para demonstrar a superioridade da dominação mas o fato é que eles assim grafavam. E esse uso era comum e entendido por todos, principalmente pelos bottons, como um código do nosso (sub)mundo, não incorrendo em nenhuma ofensa ou abuso, afinal, se esse era o jogo não havia porque se ofender.
Chegava-se a ter diálogos - escritos, obviamente - desse tipo:

_ COMO VAI, menina?
_ Muito bem, senhor.
_ RECOMENDAÇÕES MINHAS AO DONO DE ti.

Tudo o que se referia ao bottom, inclusive os pronomes, era grafado em letras minúsculas.
Com a abertura dos portões através da mídia e da literatura chegaram mais e mais pessoas que começaram a fazer oposição a esse tipo de tratamento. 

Letras maiúsculas são gritos! - repetiam exaustivamente.


E, com o tempo essa ideia foi tomando forma dentro do meio, os DONS foram se intimidando e mudando essa forma de escrever, cedendo lugar ao que se chama de netqueta (diz-se de um código de etiqueta para os usuários da internet).
Letras maiúsculas são gritos...
E um dia me peguei pensando em como letras poderiam gritar ao ponto de ofender pessoas. 
De fato, a escrita toda em caixa alta fica mais feia visualmente. É muito melhor ler um texto em minúsculas com a devida pontuação e as maiúsculas usadas nos lugares certos. 
Mas, algumas pessoas, para ganho de tempo, preferem escrever em maiúsculas. Outras, por conservarem o antigo costume vigente no BDSM de que Dominantes escreviam assim. E são rechaçadas por isso, por estarem "gritando", segundo um código de normas trazido lá de fora.
Sem me incomodar com tal fato, entendo as frases imperativas, de ordem ou mesmo gritos, através da pontuação, e, claro, das palavras utilizadas.

_ Feche a porta! Agora! Já!!!

Nesse caso, não é o tamanho da letra que importa e sim a frase imperativa através das palavras e pontuação.
É um pequeno detalhe, algo sem qualquer importância mas que é um termômetro do quanto essas pequenas interferências vão se avolumando e descaracterizando costumes por influência de um meio externo que nada tem a ver conosco. E dá saudade do tempo em que tínhamos que nos vergar apenas ao DONO e aos códigos de conduta e postura vigentes no BDSM e não a usos e costumes trazidos do mundo lá fora e que só descaracterizam o que vivemos, não nos acrescentando em nada e tornando tudo tão banal.

Mas esta é só a minha opinião.


Vita_ST 
Feliz propriedade do Senhor da Torre.

8 comentários:

Maya Doll disse...

As redes sociais estão repletas de "insatisfações" e "reclamações" sobre coisas que às vezes me questiono se são manifestações reais ou apenas expressão de algo que está mais profundo.

As pessoas estão cada vez mais suscetíveis a ofensas, simplesmente porque alguém não concorda com as opiniões. Ou frustradas porque suas fotos não são curtidas... sei lá.

Não me incomodam as letras maiúsculas ou minúsculas, mas eu particularmente procuro não usar maiúsculas porque muitas coisas que escrevo já podem ser vistas como "provocações" (mesmo fora do BDSM).

De qualquer modo, ando meio cansada das teorias da conspiração de todos que não conseguem entender uma brincadeira, que não aceitam opiniões, que conseguem ver maldade em tudo. Assim, vou me retirando dia após dia e me reservando.

Bela manifestação pessoal.
Beijos

{Λїtą}_ŞT disse...

Verdade, Mayadoll.
O problema é que hj em dia as pessoas se incomodam com tudo e uma vivência que deveria ser libertadora, até por suas diferenças, acaba se tornando uma prisão onde cada ato é vigiado e tudo que se faz ou diz pode ofender barbaramente alguém, sem motivo algum.
Como disse, é um detalhe sem muita importância... mas são essas pequenas coisas que vão tomando forma e mudando o que um dia conhecemos, a ponto de se tornar-se quase irreconhecível. Triste isso.
Obrigada pela presença e participação.

Beijos

Rebeca disse...

Bom dia Vita_ST!

De fato, tb ando cansada das imposições que querem nos colocar, como se o SM tivesse uma cartilha a ser seguida, e quem estiver fora desse contexto, não ser um "submisso ou Dom verdadeiro."
Muitos me questionam pq uso o meu nick com a letra maiúscula, se sou submissa...oras, uso assim, pq assim me sinto bem.
Eu particularmente, gosto da grafia correta das coisas. Conversar com pessoas que assassinam a língua portuguesa, para mim, é extremamente broxante...(Lógico que tb erro e não sou perfeita, mas me esforço para acertar).
Não é algo que consiga explicar ou que tenha um sentido, mas é como um fetiche: ou me atrai ou não.
Agora, se conversam comigo em caixa alta, e eu entender que aquela é a maneira da pessoa se sentir melhor para escrever, seja pq não quer perder tempo ou acha mais fácil. Tudo bem, não tem problema. Mas se esta pessoa acha que escrever em caixa alta vai me fazer "submissa" à
ela, está totalmente enganada.
Não são as letras grandes que me colocam respeito.
As frases escritas normalmente, com a pontuação correta, a vírgula na hora certa....rs....Ah..essas sim, são capazes de vergarem minha cabeça ao chão.

Bacana a idéia desse texto. Amei!

Beijo grande!!

Rebeca

{Λїtą}_ŞT disse...

Exato, Rebeca.
Eu, como amante da língua portuguesa, gosto de vê-la bem escrita, embora cometa meus erros tb... quem não, né? Rs.
Mas não me incomoda o meio quando o objetivo é a comunicação e no caso específico do BDSM era um costume que foi "derrubado" por interferências externas e minha intenção não foi chamar a atenção para esse pormenor em específico mas para todas as pequenas interferências que vêm mudando aquilo que considerávamos encantador exatamente por ser diferente. Mas, como disse, é uma opinião muito pessoal.
Beijos e obrigada pela sua valiosa participação.

ternura disse...

boa tarde minha coerente amiga vitinha,

eu tbm fui apresentada a este Universo, pelas mãos dos 'tradicionalistas'.

o que me ensinaram?

me ensinaram desde a postura em salas de bate papo (saudade da Uol de antigamente), nas redes sociais, nas sessões e, como grafar meus pensamentos, desejos, quereres e opiniões.

até hj, qdo estou num singelo bate papo ou apenas pitacando nos blogs amigos e nas redes sociais, o faço em minúsculas.

e, nunca jamais me senti inferior por isso, longe de mim essa neura. sou muito bem resolvida, tenho um orgulho tremendo e amodoro a condição de ser submissa, por mim, descoberta.

no entanto, com o passar dos tempos, me deparei com o famigerado 'meio externo que nada tem a ver conosco.'(by vita).

desse modo, fui corrompida e também comecei a achar que estavam gritando ao invés de apenas entender que essa era a maneira do código de conduta e postura vigentes no BDSM. simples assim.

ahhhh e, por favor, não confundam essa maneira particular que nós sobreviventes desse Universo de fantasias e fetiches, que atende pelas siglas BDSM, temos de nos comunicar com assassinato da Língua vigente.

entendam como uma particularidade no modo de se comunicar entre os seus, existente deste os primórdios de tal tribo, que dá mais emoção e veracidade ás partidas que escolhemos jogar.

vitinha, obrigada por compartilhar mais uma de suas idéias coerente e sensata.

tomando para mim , novamente, o que me foi ensinado...*pisc

bjs ternos e agradecidos

obs: com o uso da tecnologia e, por cima da portátil, quem confia plenamente no corretor disponibilizado...menos meu povo, bem menos...

"herrar é e sempre serà umano"...*pisc






{Λїtą}_ŞT disse...

Hahahahahaha... ternura, começo com uma gargalhada porque seu bom humor, sempre presente, vem alegrar esse espaço. Li com um sorriso.
Essa questão pode parecer saudosismo nosso, mas não é. Reproduzimos outra época, de Senhores e escravos e é lá que ela deve ficar, é aí que residem todas as diferenças e encantos. E sei bem como somos arrastados por essa onda de modernidade que, como já disse, não nos acrescentou nada, só piorou.
Beijos e obrigada pela sua bem humorada participação.

Anônimo disse...

EU VENHO APENAS CORROBORAR COM O SEU TEXTO VITA, O QUAL ACHEI MUITO PERTINENTE.
COMIGO MESMO, JA ACONTECEU DE UMAS Q SE DIZEM subs E ATÉ MESMO dommes,TENTAREM ME CHAMAR A ATENÇÃO, POR EU USAR A CX ALTA.
A ESSAS , EU NEM PERDÍ TEMPO EM TENTAR EXPLICAR NADA, JA QUE PACIÊNCIA COM ESSE TIPO DE COISA, EU NÃO TENHO MESMO E JAMAIS DARIA O DIREITO DE ALGUÉM MESMO AO MENOS TENTAR ME CHAMAR A ATENÇÃO.
PARABÉNS PELO TEXTO E ESPERO QUE COM ESSE, MUITAS IDIOTAS QUE SE ACHAM, SAIBAM O PORQUE DE CERTAS TRADIÇÕES.
SAUDAÇÕES A VC E A SEU DONO.
MELBOR

{Λїtą}_ŞT disse...

Verdade, sr MELBOR.

O sr é um dos que conservam esse costume e que às vezes enfrenta oposição. Um amigo confessou que acabou perdendo o hábito de tanto levar "pito" de submissa e não o foi por "obediência" a elas mas por acabar cedendo a essa ideia infiltrada de que seriam gritos ou falta de educação... e ele não quis se passar por mal educado.
Acontece que essas pessoas vão chegando com seus conceitos formados do mundo lá fora e querendo impor; nosso mal é deixar isso acontecer e assim vamos vivendo o BDSM abaunilhado, totalmente descaracterizado por influências externas simplesmente pq as pessoas, por falta de informação, chegam querendo mudar tudo, como se entrassem em uma casa tentando mudar o costume dos que lá vivem... isso sim é falta de educação.
Obrigada pela presença e participação.

Beijos ao sr e a sua linda e querida bia.